Skip to content

Sessão Formações, Gestões e Produções Culturais

04/08/2011

No segundo dia do Enecult, a mesa Gestões e Produções Culturais, ocorrida das 16:30 as 18:30 no PAF3, concentrou a discussão sobre a atuação de gestores e atores sociais e a importância dos projetos culturais.

A exposição começou com Heloísa Bueno Rodrigues, bacharel em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (RJ), que apresentou a monografia Projeto Cultural: Reflexões para além do instrumento técnico. Para a pesquisadora, o projeto cultural é de extrema importância para o produtor e deve ser pensado como uma potência e não como instrumento reducionista e autoritário. O produtor deve usar o universo da cultura como sua matéria prima, criando suas próprias possibilidades. Perpassando por esses aspectos, o projeto cultural estabelece novos processos de subjetividade, alimentando trocas, diálogos e mercados.

Maria Daniela de Melo, integrante do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Recife e gestora do Ponto de Cultura Centro de Capoeira Salomão, foi a segunda a se apresentar com o trabalho Interações Sociais e Influência Interpessoal no Âmbito das Organizações Culturais: Estratégias de Gerenciamento de Impressões na busca por Parceiros Mantedores da Cultura. A gestora se baseou na percepção do uso das estratégias dos grupos culturais em um encontro de captação de recursos e nas impressões causadas no momento da negociação do gestor cultural e de um possível parceiro. A análise perpassou pelas inúmeras estratégias existentes e na necessidade de escolher a mais oportuna no momento de criar uma boa impressão.

Na última exposição, Patrícia Barreto Santos, coordenadora da mesa e administradora e participante da Pós-Graduação em Estudos Interdisciplinares do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos (IHAC), apresentou o trabalho Redes Socioculturais como Proposta Organizacional. Para a autora, o ator social deve se reconhecer como formador de uma rede para que então ela possa existir. As formas de relacionamento e os processos de gestão são os pilares de uma rede com uma proposta organizacional. O estudo de caso apresentado pela pesquisadora foi a Casa Via Magia, justamente por se tratar de uma escola somada a um instituto, a um centro e a um teatro, formando uma rede de seus próprios projetos e parceiros, fato que tem funcionado para sua articulação como um todo.

Na conclusão da sessão, o público fez suas colocações e tirou dúvidas com os expositores.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: